domingo, 22 de maio de 2011

ODE A NONATO - Uma teoria da viagem cristã

A teoria da viagem corresponde, em literatura, a uma poética da geografia. Foi consagrada na obra do escritor argentino César Aira, “Um acontecimento na vida do pintor viajante”.

Nós, discípulos de Jesus, vivemos neste mundo sob o estigma da “peregrinação”, da viagem cristã (não somos deste mundo; nós o habitamos enquanto a eternidade não chegar para nós).
Na teoria da viagem cristã, aguardamos no mundo o retorno do Mestre Jesus:

Primeiro, devemos “querer” viajar com Jesus, isto é, aderir a ele, pela fé. Quem age assim, ama a estrada da vida cristã (nosso agir no mundo, em amor).
Segundo, devemos nos “preparar” para a viagem cristã. Armar-nos da Palavra da fé, que nos foi evangelizada, para sermos capazes de perseverar, ter durabilidade. Preparamo-nos, também, ao escolhermos os caminhos da viagem, pois viajar é, com efeito, ato de escolha consciente (somos responsáveis diante do outro e da sociedade em geral quando viajamos com Jesus...)
Terceiro, devemos nos “agregar”, construir amizades fraternas para viajar com Cristo. A dois (humanamente falando) é melhor, pois recebemos apoio e, muitas vezes, carinho e proteção para as intempéries da viagem.
Por fim, na viagem cristã é imprescindível “organizar a memória”. Isto significa “ver e registrar” os atos de Deus em nossa viagem e em nosso favor. Mas, também, lembrar os maravilhosos feitos de Deus no mundo, fora de nós mesmos e de nosso mundo egoísta.
É a memória o elo para o prazer de viver a viagem cristã e de fruir o outro e sua realidade.

Um comentário:

Noanto Gurgel disse...

Caro Davi, agradeço pela ode e sugiro que comece a pensar nas relações entre letras e fé. Isso pode resultar numa pesquisa com bons frutos.

Abraço,
Nonato